sábado, 26 de dezembro de 2015

Poderíamos

Eu decorei as músicas sertanejas mais bestas desse mundo, por que pela primeira vez na vida, elas faziam algum sentido pra mim. Eu arrumei meu cabelo de um jeito diferente, caprichei na maquiagem, escolhi o melhor perfume, e até pintei as unhas direitinho. Eu ri alto pra chamar atenção, eu dei o meu melhor sorriso, eu tentei andar como aquelas meninas super seguras andam. E se eu me 
sinto ridícula contando tudo isso? Mas é claro!

Já você, fugiu. Fingiu que não viu. Fez pouco caso. 

Por um lado foi bom. Eu tenho mil e uma inseguranças, mil e um defeitos, muito mais de mil e uma coisas com as quais você não conseguiria lidar. Eu tropeço nos meus próprios pés, gaguejo quando estou nervosa e me atrapalho toda em minhas explicações. Eu choro vendo filmes e imaginando coisas que nem chegaram a acontecer. Eu sou desbocada, sem noção, medrosa e impulsiva (tudo isso ao mesmo tempo). Eu não sou fotogênica, falo palavrão demais e desmorono com muita facilidade. Talvez você tenha razão, não daria certo. Eu sou tão inconstante e você é tão composto.

Por outro lado foi ruim. Você perdeu muita coisa. Eu sei estar presente, sei abraçar quando as coisas estão ruins, sei ser solidaria. Sei ser engraçada as vezes, sei fazer brigadeiro de panela, sei te fazer sorrir. 

Poderíamos ter passado as madrugadas dando risada de alguma besteira. Poderíamos ter explorado a minha cidade preferida juntos e tirado muitas fotos nesse processo (eu sei o quanto você gosta de uma câmera). Eu poderia ter te apresentado minhas músicas desconhecidas favoritas e você me apresentaria as suas. Cantaríamos juntos a tarde toda. Poderíamos ter criticado aqueles filmes da moda e debochado da programação de Domingo. Eu te ajudaria nas compras e te emprestaria alguns dos meus melhores livros. Você me ajudaria nos trabalhos e reclamaria das cenas que eu faço.

Poderíamos é uma palavra chata em determinadas situações né?

Se me deixasse entrar, teria visto que eu sou realmente estranha, cheia de manias e hábitos
diferentes. Mas talvez, quem sabe, você não achasse isso tudo maravilhoso?

Ta tudo bem, fica tranquilo, volta pro teu esconderijo e continua fingindo que eu sou só mais um entre os diversos rostos que você vê por ai. Acho que depois de um tempo eu também desencanei, fui deixando de me importar. A vida me deu problemas o suficiente pra desviar meu foco. Meu coração deixou de bater rápido quando te via e meu estomago deixou de se revirar. Como pode ver, minha saúde esta perfeita de novo, haha.

E dessa história toda, eu prefiro levar apenas as músicas do Móveis Coloniais de Acaju.

Se cuida, e tenta não pensar no quão incrível poderia ter sido.

3 comentários:

  1. Ei, que texto mais lindo! Acho que todos passamos por isso,não?! Criamos expectativas para coisas que poderiam ter acontecido, mas no fim tudo que precisa acontecer acontece.Amei o texto, parabéns pela escrita!
    Bjoo,Bia do http://julietaaocontrarioo.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "tudo que precisa acontecer acontece" ♥

      Fico feliz que tenha gostado do texto Bianca :)

      Eliminar
  2. adoro o que escreves deves continuar assim

    ResponderEliminar