segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Me Descobri Feminista

Percebi o modo injusto que o mundo tinha de tratar as mulheres já a algum tempo. Porém, fiquei calada. Afinal, não gosto de briga, de discussão, de muito alarde. Eu fico na minha, vendo as coisas acontecerem de longe, e mordendo o lábio pra não dar opinião. Sem me envolver, sem me machucar. Outras pessoas podem lutar por mim né? Menos uma não faz uma batalha mais fraca. Era o que eu pensava e quem eu costumava ser

Acontece que um dia acordei e senti que algo estava completamente errado. 

Me descobri feminista depois de ouvir mulheres mais velhas da minha família dizendo ''se case com um homem rico''. Perai! Mas por que eu não posso ser a pessoa rica da relação? Por que essas mulheres acreditam que o sucesso financeiro de uma pessoa se deve a conta bancária do seu parceiro?! Por que nenhuma mulher me falou ''estude e seja alguém nessa vida'' ou ''trabalhe duro e não dependa de homem e nem de ninguém''?! Porra! Meu pai não me criou pra isso não, e se tem um motivo pra eu sentir orgulho dele é esse. Ele sonha com uma filha independente. Independente da família, e principalmente, de qualquer homem. E ouvir babaquices como essa vindas de alguma mulher me doí na alma, e me faz ver o quanto as meninas são desestimuladas nessa sociedade.

Me descobri feminista depois de a minha mãe dizer ''mas filha, você não sabe cozinhar, seu marido vai comer o que?''. Bem, se ele tiver mãos acho que dá pra fazer um miojo de boas. Como assim o que ele vai comer?! Eu lá tenho alguma coisa a ver com isso? Onde é que ta escrito que eu tenho que cozinhar pra ele? E onde é que tá escrito que se casar faz parte da evolução natural do ser humano? E se eu não quiser casar? E se eu não quiser ter filhos?!

Me descobri feminista depois de ver uma colega de classe sendo oprimida por um um namorado machista, que queria obriga-la a parar de ir pra escola. Uma mulher é propriedade dela mesma, e homem nenhum tem o direito de obrigar alguém a algo. O mais triste disso tudo? Ela obedece a ele, e abre mão de um futuro promissor pra manter uma relação abusiva.

Me descobri feminista depois de assistir a filmes com mulheres brancas, loiras, altas e magras. Depois de ver essas belas mulheres em propagandas e revistas de moda também. Depois de perceber que elas estavam em absolutamente todos os lugares. Por que é isso que a sociedade quer que eu seja e é esse o padrão ao qual eu nunca vou em encaixar. Não me encaixo por que ele é surreal e
inalcançável. Ao invés de perder meu tempo me matando pra parecer ao menos um pouquinho com a modelo photoshopada na capa da revista que eu leio, vou gastar esse tempo é me amando. E aí de quem disser que eu não sou bonita sem maquiagem, que eu deveria tentar a dieta da moda, que tal roupa ou acessório não fica bem no meu corpo. Pobres pessoas ignorantes, já se tornaram alienadas graças ao que veem na tv.

Me descobri feminista depois de sair em uma tarde de sol comum com minha amigas, e ter sido perturbada a cada instante por um cara qualquer. Depois de ouvir obscenidades, e frases até assustadoras de homens que pensavam estar nos ''elogiando''. Depois de ir pedir informação a um senhor e ele, ao invés de nos responder, só falar coisas do tipo ''vocês são tão lindas'' e ''por que não voltam pra casa comigo?!''. Graças a esse tipo de pessoa nojenta eu tenho medo. Temo todos os dias por a minha mãe, minha irmã mais nova, minhas amigas...Por que eu sei, que apenas o fato de elas estarem usando roupas das quais gostam, faz com que homens pensem que tem o direito de dizer ou fazer o que bem entendem. E não é assim que a banda toca meu amor! E eu não quero mais viver com medo.

E por esses e mais alguns milhares de motivos eu digo em alto e bom som: ME DESCOBRI FEMINISTA E TENHO ORGULHO DE PARTICIPAR DESSA LUTA. Vai ter mi mi mi? Vai! Vai ter discussão?! Vai! Vão ter barreiras sendo quebradas? Vão e muitas! E você ai, quer me mandar voltar pra cozinha amigo? Então que mande. Esse tipo de argumento só me faz ter mais vontade de encarar o mundo e tentar mudar aquilo que considero errado. Toda revolução causa certo tumulto no começo. Mas eu acredito sim, que um dia as garotas desse mundo terão total liberdade para viver e agir da forma que acharem melhor, sem que ninguém interfira.

8 comentários:

  1. Amei o seu post !
    Você escreve bem demais.
    Eu concordo com você em partes.
    Algumas pessoas não sabem impor opinião e se deixam levar por qualquer piada ou imposição de qualquer um.
    Eu acho que se as pessoas fazem isso, é porque já tiveram retorno ou porque já foram incentivados por alguém a fazê-lo.
    Mas essa é a minha opinião.
    E pra mim, esse é o sentido de ser mulher. Poder impor a sua opinião a qualquer hora e a qualquer um.
    E esse é o sentido de ser humano.
    Ser livre.
    Beijos, flor.
    - Te indiquei a uma tag lá no meu blog.

    agarotaperfeita2.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Poder impor a sua opinião a qualquer hora e a qualquer um" Resumiu bem Kelly!
      Fico feliz que tenha gostado do texto ♥

      Eliminar
  2. Excelente texto, até compartilhei no G+ e Twitter.
    É assim que muitas de nós também se descobrem feministas, na prática. Foi assim que me tornei feminista, ao não concordar com a forma como somos induzidas a agir pela sociedade machista em que vivemos. Seja bem vinda, e não se calar é o caminho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada Mary!
      Percebi que não dá mais pra ficar calada. Acho que o machismo as vezes esta em pequenas coisas que nem ao menos notamos. Mas cabe ao feminismo abrir os olhos das mulheres, e mostrar-lhes que podemos mudar a forma com que a sociedade nos trata!

      Eliminar
  3. A maioria das mulheres no fundo cultiva a mesma revolta, o problema é a que muitas vezes o oprimido compactua com o opressor, faz parte da opressão achar que é errado discordar da hierarquia, da ordem "natural" das coisas, do patriarcado...
    Agora que o feminismo tomou a linha de frente as mulheres serão muito mais odiadas, mas não podemos desistir, a nossa batalha já está ganha, só falta o inimigo aceitar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está certíssima Misa! Penso que essa luta seria muito mais fácil se o oprimido não se mante-se calado e tivesse a coragem de se voltar contra o opressor. É uma pena que muitas mulheres nem saibam que existem diversas regras impostas a elas desde o nascimento <//3

      Eliminar
  4. Certíssima! Eu sou feminista e falo isso com o maior orgulho, e o melhor, meu marido também é e apoia a igualdade de gênero!
    Adorei esse post, mais que necessário, tenho certeza que todas nós já passamos por situações iguais.
    Beijos!!
    Blog Amanda Hillerman

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Você é muito sortuda de ter uma marido que apoia essa causa e que luta ao seu lado Amanda!

      Eliminar