domingo, 1 de janeiro de 2017

Querido 2017



Leia ouvindo:

Querido 2017,
Fiquei sabendo que você já chegou sobrecarregado com inúmeras responsabilidades que as pessoas colocaram em suas mãos. Vai por mim, compreendo direitinho o que é resolver os abacaxis de quem não sabe lidar com a vida sozinho (ops, era pra essa magoa ter ficado em 2016). Mas deixe o alvoroço de lado e me escute: vamos conversar um pouquinho ok?
Ontem, pela primeira vez em muitos anos, não sai pra comemorar a virada. Sem churrasco, batida de vinho com leite condensado, simpatias engraçadas das tias ou forró alto tocando nas caixas de som. Ao invés disso ficamos eu, meus pais e minha irmã tranquilos aqui em casa. Teve lasanha, Itubaina, um doce maravilhoso de chocolate e morango, e um champanhe baratinho que pedi pra minha mãe comprar no mercado (algo bem de última hora mesmo). Confesso que me perguntei diversas vezes se o melhor não teria sido aceitar o convite daquele meu amigo e ir pular com o que parece ser um formigueiro de gente lá na Paulista. Mas então você chegou, com gritaria da criançada aqui da rua, grupos de motoqueiros dirigindo loucos pelo bairro (nunca entendi muito bem essa comemoração) e um som de dar orgulho ao gênero brega vindo da casa de algum vizinho. E então eu me senti bem. Não extasiada ou afoita, mas bem.
Meu pai trocou o ''Feliz Ano Novo'' por ''Feliz Natal'' sem querer. Minha mãe abriu a porta e acendeu a luz da entrada pra você chegar com facilidade aqui em casa. E eu abracei minha irmã e girei com ela pela sala. Depois dos inúmeros desejos de felicidade e paz, corri para o quintal e subi em uma cadeira para observar (do que provavelmente é a melhor vista de quintal que alguém poderia ter) a chuva de fogos de artificio lá fora. Foi lindo ver que por mais que 2016 tenha deixado algumas cicatrizes em todo mundo, ele não foi suficiente pra tirar das pessoas a vontade de fazer uma virada bonita. E como foi bonita ein? Espero que eu nunca deixe de achar que aquele brilho jogado no céu tem algo de meio mágico. Fiquei ali uns 10 minutos pensando que o que eu quero mesmo que você me proporcione são mais momentos como esse.
Então 2017, não te peço emprego, carro, dinheiro ou namorado. Quero é sentir a felicidade daqueles minutos em que a barriga dói e os olhos lacrimejam de tanto rir. Como quando esperamos o ônibus com os amigos no ponto e fazemos planos pro futuro. Ou como aqueles dias em que nos distraímos em um papo cabeça com alguém. É uma felicidade boba, que faz um sorriso de canto de boca  se abrir no rosto de qualquer um. Meio coisa de criança que tá descobrindo o mundo agora sabe?
Eu quero mais fins de tarde sentada no banco de algum metrô, cansada por ter andado pra cima e pra baixo descobrindo lugares novos. Quero mais fotos bizarras com os amigos (e quem sabe uma ou duas amizades daquelas que valem por mais de cem). Quero dançar sem motivo, sentir orgulho daquilo que realizo, esbarrar com estranhos simpáticos na rua e passar mais tempo com quem eu amo. Quero receber muitas visitas inesperadas dos parentes todos, fazer mais receitas desastrosas com a minha irmã, assistir novelas junto com a minha mãe e passear muito de carro com meu pai (sempre cantando alto as minhas músicas favoritas, é claro). Eu quero viver aquele sentimento sutil que nasce nos momentos mais simples e faz com que a gente se sinta vivo. Ou mais que isso, sinta A VIDA. 
Fique tranquilo, não vou colocar mais pressão em você. Esquece os pedidos de perder peso ou de passar na faculdade. Esquece as simpatias, as promessas e o resto todo. Não sou mais dessas pessoas quem põem a culpa de seus objetivos não cumpridos no ano, no destino ou nas energias que rondam o mundo. Se os sonhos são meus, cabe somente a mim realiza-los né? A força necessária pra correr atrás de cada um deles já um presente recebido com festa.

Querido 2017, algo me faz acreditar que não será muito fácil lidar contigo. Mas existe uma coisa encantadora no novo, ela se encontra entre o que anima e o que dá medo, e me faz acreditar que você será incrível. 

Seja bem-vindo novo ano, estávamos todos a sua espera.
Com amor, Paloma. 

7 comentários:

  1. Mano,que post maravilhoso!Seu texto fico maravilhoso,e é a realidade,as pessoas (eu) jogam muita pressão encima dos anos,e depois acabam transbordando de decepções.Feliz ano novo!E espero que esse ano a senhorita poste mais,o seu blog é um dos meus preferidos.Beijos!

    http://relatosdotedio.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fiquei MUITO feliz em ler esse seu comentário Rafa! Juro que vou me esforçar pra manter uma frequência boa de posts aqui no blog esse ano ♥

      Um feliz 2017 pra você!

      Eliminar
  2. Que texto mais lindo, tocante e maravilhoso, parabéns e muito sucesso.

    Born in 1996

    ResponderEliminar
  3. Que texto lindo. É o que todos queremos. Te desejo um Feliz 2017 cheio de emoções e coisas boas.
    Seu blog, como sempre incrível.
    Beijos.
    http://crazy-funnygirl.blogspot.com/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigadão Ingrid! Um 2017 incrível pra você ♥

      Eliminar