sábado, 20 de maio de 2017

O céu ainda é azul, você sabe

A alguns dias eu e uma amiga fomos visitar a exposição ''O céu ainda é azul, você sabe''. Uma professora nossa havia recomendado, já que as obras em exibição são criadas por ninguém menos que a Yoko Ono, e isso acabou despertando nossa curiosidade. Ah, mas não se engane ein? O relacionamento dela com o John Lennon não tem nenhuma menção na mostra, o foco mesmo é o trabalho dessa artista e como suas peças sempre convidam aquele que as observa a interagir e completa-las. 

Confesso que pelo que tinha ouvido falar da exposição, acreditava que ela teria uma proposta inteiramente feminista, mas na realidade as mensagens passadas são as mais diversas. Isso não me decepcionou nem um pouquinho e, para falar a verdade, pela primeira vez uma exposição mexeu comigo. Sejamos sinceros né? Nem sempre a proposta passada em obras de arte fica clara e, por mais que vejamos alguma beleza naquilo, é difícil ser tocado sem entender do que realmente se trata. 
Bem na entrada do Instituto Tomie Ohtake (que fica em Pinheiros) já nos deparamos com uma das instruções de Yoko (que esqueci de fotografar, mas vocês podem ver aqui) e quanto mais avançamos por as salas do espaço, mais nos deparamos com esses convites para também nos tornarmos arte. Demorei para entender que nem todas as peças ali eram palpáveis. Algumas eram ações que os visitantes deveriam tomar, não dentro do museu, mas sim em suas vidas.
Minhas peças favoritas foram a ''Imagine a Paz'', onde precisamos carimbar a paz em lugares que precisam dela (ou seja, em todo um mapa); a ''árvore dos pedidos para o mundo'', onde cada visitante é convidado a anotar um pedido em um papel e pendura-lo na árvore com um barbante (é bem divertido e inspirador ler com o que as outras pessoas sonham); e a “escreva suas memórias sobre a sua mãe”, que não precisa de explicação né? hehe. Essa última, em especial, foi a que mais me tocou, bateu até uma vontadinha de chorar quando escrevia sobre minha mãe em alguns post-it's e lia o que outras pessoas escreverem. O serzinho de luz é a nossa mãe né gente?
Outro coisa interessante na exposição é a sala de depoimentos de violência contra a mulher. A proposta é muito boa e nos faz refletir quanto a maneira com a qual criamos as mulheres e os homens da nossa sociedade, mas também requer estômago forte. Alguns relatos são incrivelmente empoderados, do tipo que trazem inspiração para continuar a luta que é viver sendo desse gênero. Mas alguns são imensamente tristes também, com histórias de mulheres oprimidas e violentadas de todas as formas por seus pais ou maridos (ou até desconhecidos, é claro). Essa sala consegue despertar nojo, ódio e revolta em qualquer um :/ Aliás, até o fim da exposição continuarão sendo recolhidos depoimentos desse tipo para serem expostos (de forma anônima ok?). Se você têm algo a contar pode mandar um e-mail para estamosemergindo@gmail.com ou entrar em contato com o número (11) 98900 - 6773 no whatsapp.   
Mas além disso tem muitas outras coisas para se ver por lá. Pedrinhas, capacetes, tintas, filmes e até porcelanas quebradas nos chamam para reflexão de algo importante como o amor ao próximo, a união e a desigualdade.
Já deu para perceber que recomendo muito a visita a ''O céu ainda é azul, você sabe''. Se você é de São Paulo, aproveita que ela vai ficar no Tomie Ohtake até dia 28 desse mês e que o ingresso é super baratinho (e é gratuito as terças ein?). Clique aqui para mais informações :)

Gravei um videozinho com mais alguns detalhes dessa mostra:


Espero que tenham gostado desse post mais cultural (Paloma também é arte monamour ☺).
 
Um beijão e até mais ♥

1 comentário:

  1. Uma das coisas que mais gosto em SP são as coisas contemporâneas. Aqui no Rio também existem muitos museus e exposições,mas a maioria é bem obsoleto.

    Por isso,planejo fazer uma viagem pra São Paulo só pra isso. Amei as fotos,e a exposição é realmente incrível...Beijão♥


    Blog: Garota Rude
    Canal: Garota Rude
    Instagram: _garotarude
    Twitter: _garotarude

    ResponderEliminar