quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

8 coisas que aprendi aos 18 anos

Esse ano, devido a uma série de fatores, não consegui escrever um textinho de aniversário, o que é quase uma tradição pessoal minha. Mas, agora que já estamos no fim de 2017 e acontece, querendo ou não, todo aquele balanço interno, percebo que os 18 anos trouxeram consigo alguns aprendizados valiosos que me fizeram crescer de verdade. Eu poderia esperar minhas 19 primaveras para compartilhar com vocês tudo o que me aconteceu (e talvez completar uma lista com 18 lições) mas levando em consideração meu contexto atual, sinto que preciso contar isso agora! Então entendam esse post como uma espécie de comemoração atrasada ok?
1 - Só nós mesmos podemos nos salvar:

Essa foi, sem a menor dúvida, a lição mais importante que aprendi esse ano, e espero que ela me acompanhe pelo resto da vida. Em 2017 eu passei por coisas que nunca acreditei que iria viver, momentos realmente pesados que me fizeram ir, progressivamente, perdendo a fé na vida. É estranho dizer isso agora que me sinto bem e já sem nenhuma dor, mas frequentes crises de ansiedade e o início de uma depressão me fizeram criar uma perspectiva muito sem graça do mundo. Eu sumi aqui do blog, abri mão das coisas que gostava em troco de nada e acreditei, cegamente, que só o que me restava era aguentar pessoas e situações que me deixavam mal. Pedi a Deus inúmeras vezes que me mandasse alguém para aliviar o que eu sentia mas, na real, ninguém sabe arrumar tão bem a nossa bagunça quanto nós mesmos. Entendi, bem na semana em que faria 18, que só eu poderia me salvar. Daí em diante tudo caminhou pra frente, eu afastei quem e o que me fazia mal e lutei por mim mesma e pela minha felicidade. Se essa sensação de virar o jogo não é a melhor que existe, não faço ideia de qual seja. 

2 - Geralmente nós sabemos de onde vem o bem e o mal:

Ainda sobre os transtornos que me acompanharam por alguns meses desse ano, eu posso afirmar que foram, em sua maior parte, causados por pessoas absolutamente tóxicas. Agora que essa história toda está mais distante, vejo claramente que sempre soube que os sentimentos ruins que sentia eram causados por elas. Sei agora que muitas vezes nós fechamos os olhos para aqueles que nos fazem mal, sei também que é difícil acreditar que alguém de quem se gosta tem prazer em ver nossa infelicidade, mas isso acontece. Talvez, a maior parte do motivo que nos leva a relevar/tolerar/minimizar situações e pessoas que nos reduzem seja o medo de "sobrar". Maior que o medo de ficar sozinho, é o medo do que os outros vão pensar ao te ver sozinho, não é? Eu e todo ser humano tem esse receio bizarro dentro de si, mas no fim das contas, é besteira. Não vale a pena sacrificar sua saúde mental para ter a companhia de alguém pequeno e muito menos fazer a cega para aquilo que te deprime. Pense bem... Acho que você sabe exatamente de onde vem o bem e o mal na sua vida, o lado que você escolher te abraça, com qual você fica?

3 - As pessoas não são a imagem que temos delas:

Troquei de sala esse ano (você vê aqui que um tópico completa o outro) e me apavorou o fato de ter que me adaptar a outro meio. Senti o frio na barriga do primeiro dia de aula no segundo semestre e odiei a ideia de ter que me acostumar com o jeito de novas pessoas. Eu acreditava, realmente, que muita gente na classe nova não ia ser legal comigo devido a imagem que criei delas na minha mente. Sabe os burburinhos que você sempre ouve? Sobre fulano ser arrogante, briguento ou algo do gênero. Percebi que eles não são verdade até que você mesmo os comprove. Acabei me surpreendendo com muita gente e comecei a gostar de pessoas que nunca imaginei que gostaria. Em contrapartida, também percebi que um pessoal que eu chamava de amigo nunca foi tão legal assim.
4 - É difícil se abrir para o novo, mas é necessário:

Parece óbvio, mas a verdade é que a coragem necessária para se abrir completamente para o desconhecido é coisa pra poucos. Infelizmente, viver na nossa caixinha é muito mais aconchegante do que tentar sair dela. Mas, aos 18 anos, eu percebi que a vida só segue o seu percurso se a gente encarar o novo, caso contrário nós ficamos empacados ali na curva familiar de sempre. Aí vai uma dica valiosa para 2018: se abra para pessoas, lugares, sonhos e até gostos novos. Troque tudo aquilo que não te completa por algo que poderia completar. Esse "ia" no fim das palavras é incerto e assustador, mas só com ele nós descobrimos o que acontece depois.

5 - Tão importante quanto seguir as regras é quebrá-las as vezes:

As melhores histórias desse ano, as noites mais divertidas e os momentos mais engraçados, não teriam acontecido se eu me policiasse o tempo todo. Nós julgamos muito e seguimos regras que na verdade ninguém inventou mas, volta e meia, é melhor deixar isso tudo de lado. Talvez você tenha ouvido em algum lugar que certas coisas não devem ser feitas e isso pode ter parecido verdade absoluta, mas algumas "normas" merecem uma exceção. Abra mão dos seus preconceitos e se divirta! 

6 - Seus pais nem sempre serão seus amigos, as vezes eles serão só seus pais:

Isso foi difícil de aprender mas, depois de muito me magoar, consegui aceitar que nem sempre os nossos pais vão entender o nosso lado. Eu sei que parece coisa de adolescente que gosta de dar uma de incompreendido, mas a verdade é que muitas vezes eles não nos entendem mesmo e isso é totalmente compreensível. Deixei de cobrar da minha mãe a postura de uma melhor amiga. Ela tem mais responsabilidades, mais preocupações e mais idade do que eu, além da função foda de criar duas filhas, o que é algo que talvez eu nunca entenda completamente o peso. São perspectivas de vida diferentes o que nos faz ter opiniões divergentes. É claro que muitas das coisas que ela me dirá soarão totalmente sem sentido (algumas delas de fato serão), mas isso será apenas ela no seu papel de mãe e tudo bem. 
7 - O efeito bumerangue existe sim:

É bizarro, talvez você não consiga enxergar, mas acontece. Absolutamente tudo aquilo que jogamos no mundo retorna para nós mesmos, então é importante tomar cuidado com os sentimentos que cultivamos e nossas ações/hábitos diários. Sei que é muito clichê, parece coisa que a nossa avó nos diria, mas não é bom esquecer. Tenho visto muita gente que me fez mal esse ano pagando por isso, o que me fez comprovar e me surpreender com essa teoria. Acredito que todo mundo tem o bem e o mal dentro de si, mas temos controle sobre qual deles sai de nós em maior proporção; o que sai e vai embora, uma hora ou outra volta, não é?

8 - Volta e meia realmente não haverá nada que possa ser feito:

Já essa foi a verdade mais dura que encarei esse ano. Garanto para vocês que na grande maioria das vezes existe sim uma solução, mas uma pequena porcentagem dos nossos problemas é meio que uma incógnita. Talvez exista uma resposta, talvez não. E no meio dessa incerteza, tudo o que nos resta é ser forte. A gente se agarra ao travesseiro, chora e depois dorme, porque não exite muito o que possa ser feito além de esperar o dia seguinte e torcer pra que este seja melhor. Eu sei que o ser humano acredita que tem o controle sobre tudo, mas a história não é bem assim. 

Bônus - No fim tudo da certo, e se não deu ainda não é o fim:

Eu ouvi essa frase quando era pequenininha, em algum programa bem irrelevante, e nunca me esqueci. Só hoje ela faz, de fato, sentido pra mim. Eu não sei quem é você que está lendo agora e nem o que te levou a vir até o fim dessa lista, mas saiba que se você sente que ainda existem muitas questões a serem resolvidas na sua história, ela não chegou no ponto final. A história só acaba quando você estiver feliz e sua vida não se resume a um problema. Você não é as coisas ruins que te aconteceram ok? Ainda existem um monte de capítulos para serem escritos e reviravoltas de tirar fôlego. Seja paciente e siga em frente. 

Me conta um aprendizado importante que seu aniversário lhe trouxe! Te garanto que vai me ser útil :)

2 comentários:

  1. faço 18 anos em 2018 e confesso que será um ano importante a mim por conta de tudo que poderá acontecer e ter em mente tudo isso ai vai ajudar a olhar o mundo de outra forma
    beijos


    https://loucaapaixonada22.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então eu tô feliz de ele ter sido útil pra você Tainara!

      Um beijão ♥

      Eliminar