domingo, 14 de janeiro de 2018

Dog Days Are Over

Trilha sonora do post:
Faz mais ou menos um mês que me formei oficialmente. Ainda me parece loucura pensar que, por um tempo que não sei determinar, acabaram os dias de sofrer com o trânsito de manhãzinha, de virar a noite tentando finalizar os trabalhos que eu já deveria ter feito, de comer as guloseimas que os alunos vendiam as escondidas e de vibrar ao saber que aquele professor mala faltou. Se você se formou recentemente provavelmente também está tentando entender como algo que parecia durar uma eternidade, terminou sem que sentíssemos de fato o passar do tempo. Foi como viver um período dentro de uma dimensão paralela onde os meses têm muitos dias a mais, e ao sair de lá, notar que na verdade só se passaram três anos (desculpe, comecei a assistir Rick and Morty). Anos esses que, embora poucos, foram suficiente para me mudar por dentro e por fora. Graças às pessoas, professores e aulas que tive, hoje a minha forma de pensar e ver o mundo é outra: mais ampla, mais real e muito menos fechada. Fico feliz ao perceber o quanto evolui de lá pra cá e como me tornei uma versão melhorada de mim mesma. Até meus gostos mudaram: comecei a consumir conteúdos que valem mais a pena, mudei a maneira de me vestir (sinto que encontrei meu verdadeiro estilo) e descobri que na verdade eu curtia meu cabelo de várias formas diferentes. Aliás, comecei a entender vários traços da minha personalidade. Bem, já deu pra ver, muita coisa rolou.
Hoje eu queria compartilhar um pouquinho do que foi o dia que deu inicio a um novo período da minha vida. O dia em que eu não chorei apesar de ter certeza que ia, que sofri com o calor da beca em uma tarde onde o sol não teve pena, que me despedi de professores incríveis e também de pessoas e situações que estou grata por nunca mais ter na minha vida. Aliás, essa é a segunda formatura que compartilho aqui no blog, se lembram dessa menina? (caraca, quanto tempo compartilhando momentos aqui!).
Eu também queria mostrar pra vocês o look que usei no dia. O vestido eu tive a sorte de conseguir emprestado com uma prima e acabou que ele era o que eu queria mesmo sem saber. Não faço ideia de qual loja ela o encontrou, mas o decote, as pedrinhas prateadas e a textura (que não vai dar pra ver) ganharam meu coração. O salto preto de veludo é da Vizzano e o escolhi mesmo não sendo muito adepta a sapatos abertos, acabei gostando muito. O ear cuff de cobra (vibes Tay Swift) e o anel são de alguma lojinha aleatória de bijus e achei que combinaram com a paleta de cores do vestido. Ah, e a make também seguiu esse caminho: preto, branco e prata (estou gritando ao mundo que eu mesma fiz).Espero que nesse 2018 eu tenha mais momentos especiais como esse para compartilhar com vocês. E agora que sei que boas recordações são atemporais, não se perdem e não se vão, mal posso esperar para colocar mais algumas na minha coleção.
Um beijo e até mais ♥

Sem comentários:

Enviar um comentário